A perda da surpresa em novelas



Em outros tempos, quando escrevo sobre isso, por querer remeto ao passado, tudo era mais sigiloso na televisão, mais especificamente na teledramaturgia. Afinal, nosso país é um celeiro de produções televisivas neste formato.

Das novelas de folhetim em rádios no Brasil surgidas no começo da década de vinte do século passado, ao sucesso delas nos anos quarenta, apresentadas pelas ondas da extinta Rádio São Paulo (PRA5). Com o segredo dos rostos dos donos das vozes, os personagens traziam para o os ouvintes a intimidade que cada um imaginava.

Porém como tudo precisa de uma melhor tecnologia, chegamos aos anos cinquenta no Brasil, quando o gênero telenovela nos formatos conhecidos até hoje começou a ganhar corpo. A extinta Rede Tupi teve o privilégio de desenvolver a primeira novela brasileira, Sua Vida me pertence, que teve sua exibição mantida por quinze capítulos. Pode parecer estranho um número tão pequeno de exibições, quando comparamos com a atual cena da teledramaturgia brasileira.

Ainda nos tempos da Tupi e suas novelas, a Record começou a produzir sua próprias produções neste campo, quando levou ao ar – Éramos Seis. Já o maior nome em termos de novela no país é a TV Globo, que está produzindo teledramaturgia seguidamente desde 1964.

Por falar em folhetins televisivos da TV Globo e as memórias de novelas com seus assassinos, finais inesperados, mocinhos, bandidos, redenções de personagens, que deixavam os espectadores em dúvida ao sentar em frente ao aparelho de televisor. Isso de certa forma acabou após a popularidade da internet e das revistas de fofocas. Uma simples olhada em alguma revistaria e lá está a capa com o final da novela.

Pior ainda são as páginas das próprias novelas, que trazem a informação detalhada e confirmada, inclusive dizendo sobre o capítulo em que tal cena vai ao ar. Um exemplo, a página da novela das nove que está na reta final – Cecília visita Vinícius na prisão e perde o bebê ao ser agredida por ele. Ao final dos comentários o golpe final para o leitor, que até então poderia estar diante de mais uma “fofoca” – “Confira a cena que vai ao ar nesta segunda-feira, 15/08”.

A modernidade das páginas na internet e das revistas semanais acabou um pouco com a dinâmica da surpresa em novelas. Vai ver o público atual gosta e necessita disso.



Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*