Universidades adotam ranking do SISU como critério de seleção no vestibular



Entrar em uma universidade pública pode parecer uma mais simples, principalmente após muitas instituições adotarem o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como critério de seleção.

Com a criação do ENEM pelo Ministério da Educação em 1998, que na época tinha na pasta deste ministério o ministro Paulo Renato Souza e o governo era do presidente Fernando Henrique Cardoso.

A ideia inicial do exame prosseguiu por dez anos (1998 – 2008), tinha em seu caderno de provas 63 questões dos conteúdos de disciplinas aplicados durante o ensino médio.

Os dados armazenados pelos números do exame, que no seu primeiro ano, teve 157.221 inscritos, era um auxilio importantíssimo para o Ministério da Educação pautar melhorias do ensino brasileiro. Isto ocorreu pela presença do ENEM, quando pela primeira vez na história da nossa educação tivemos uma autoavaliação genuína.
A partir de 2009 durante o governo Lula e com a pasta do Ministério da Educação ocupada pelo ministro Fernando Haddad, tivemos grandes transformações no modelo do ENEM, que no exame deste ano, levou 4.576.126 candidatos, um número infinitamente maior se comparado com os números do primeiro.

Uma das grandes transformações está relacionada com o uso do ENEM como parte das notas dos concursos vestibulares ou ainda, totalidade da seleção. Recentemente a UFRJ, umas das instituições mais renomadas do pais decidiu que as vagas dos cursos de graduação serão preenchidas pelas notas dos candidatos no ENEM.
Atualmente os candidatos para universidades que adotaram o Exame Nacional do Ensino Médio como requisito para a entrada no ensino superior precisam acessar o sistema do Sistema de Seleção Unificada (SISU), órgão do Ministério da Educação e verificar sua pontuação no sistema.

Fazem parte do SISU diversas instituições de ensino superior federal (ver lista abaixo), praticamente em todas as regiões brasileiras temos universidades que utilizam os números iniciados pela prova do ENEM.
Fonte: Sisu

Instituições que fazem parte do SiSU

sisu
Imagem:Reprodução Mec

Universidades Federais
Região Norte
– Universidade Federal do Amazonas (AM)
– Fundação Universidade Federal de Rondônia (RO)
– Fundação Universidade Federal do Tocantins (TO)

Região Nordeste
– Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (BA)
– Universidade Federal do Maranhão (MA)
– Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco (PE)
– Universidade Federal Rural de Pernambuco (PE)
– Universidade Federal do Piauí (PI)
– Universidade Federal Rural do Semi-Árido (RN)

Região Centro-Oeste
– Universidade Federal de Mato Grosso (MT)

Região Sudeste
– Universidade Federal de Alfenas (MG)
– Universidade Federal de Itajubá – Unifei (MG)
– Universidade Federal de Lavras (MG)
– Universidade Federal de São João Del Rei (MG)
– Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (MG)
– Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (RJ)
– Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (RJ)
– Fundação Universidade Federal do ABC (SP)
– Universidade Federal de São Paulo (SP)

Região Sul
– Universidade Tecnológica Federal do Paraná (PR)
– Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (RS)
– Fundação Universidade Federal do Pampa – Unipampa (RS)
– Universidade Federal de Pelotas (RS)

Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia
Região Norte
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (PA)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (RR)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (TO)

Região Nordeste
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (AL)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (BA)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (BA)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (MA)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (PB)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (PI)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (RN)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (SE)

Região Centro-Oeste
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (DF)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (GO)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano (GO)

Região Sudeste
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (MG)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (MG)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (MG)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (ES)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (RJ)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (RJ)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (SP)

Região Sul
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (RS)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha (RS)
– Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (SC)
– Instituto Federal e Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense (SC)

Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet)
Cefet Celso Suckow Da Fonseca (RJ)
Outras instituições
Escola Nacional de Ciências Estatísticas (RJ)
Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (RJ)
Fonte: Globo.com



Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*