A marcha da educação traz verdades da educação no Brasil



No Brasil nos últimos anos entre as formas de manifestar temos as chamadas “marchas”, que normalmente são criadas por pessoas físicas e tem o intuito de mobilizar um grupo de pessoas e despertar a sociedade para determinado fato. Nos últimos tempos tivemos as marchas das vadias, maconha e liberdade. A diversidade e a manifestação social são pertinente em todas as sociedades, basta pensar nos temas das três marchas acima.

Em um primeiro momento existe toda uma divulgação em torno das redes sociais, por exemplo, pelo Facebook elas chegam pelos convites enviados para os usuários, que chegam até os perfis por intermédio de todos que usam a rede social, fazendo literalmente a sociabilidade da informação, neste caso, convite. A outra forma de protestar e ao mesmo tempo divulgar na internet é pelo usa das hashtags dedicadas ao tema, como por exemplo: #liberdade no Twitter.

A mais nova marcha tem dia e horário definido, exatamente hoje, 27 de agosto, sábado. Então, caro leitor do Blog do Repúblicas se você está em São Paulo, a concentração da marcha da educação começa às 13 horas em frente ao MASP.

Com uma proposta interessante a marcha da educação independente da adesão popular ou não, já traz para o debate da sociedade a posição da educação brasileira, principalmente nos níveis fundamental e médio. Uma reportagem do Jornal Nacional nesta semana mostrou a defasagem entre o real aprendizado dos alunos na educação básica nos mesmos anos e as diferenças entre o ensino público e particular. Neste caso o índice de aprendizagem dos estudantes do ensino privado é praticamente a metade dos que estão na escola pública.

Dessa forma a marcha pode ser uma das formas de deixar a sociedade ciente da lei 480/2007, de autoria do ex-ministro da educação Cristovam Buarque (PDT-DF), que obriga políticos eleitos por voto popular a matricular os filhos na escola pública.

Outro argumento da marcha é relacionado com os 10% do PIB direcionado para a educação pública brasileira.

Podem parecer ao um olhar mais despretensioso enxergar nesta marcha apenas uma movimentação das redes sociais, quanto na verdade, ela tem seus fundamentos e verdades, basta acompanhar muito do cenário escolar no Brasil.



Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*